sábado, 26 de julho de 2014

Não é um texto triste, sou eu te agradecendo.

Meus olhos cruzaram com os dele.
E eu nem pestanejei ou respirei por alguns momentos.
Sabe quando você sabe?
Então, bem ali eu soube.
Naquele primeiro momento, eu não duvidei.
E hoje,tempos depois, eu tenho certeza.
Mesmo não estando mais com ele, que o meu amor passou por mim,
me deu a honra de algumas danças e se foi por aí.
Não saberia explicar o porque não continuamos dançando mas mesmo 
não o tendo comigo, foram as melhores danças da minha vida.
O dia que eu bebi demais e ele segurou a minha cabeça.
O dia que brigamos tanto e transamos ainda brigando e fizemos as pazes, na cama.
A viagem pra Serra. 
A viagem pra praia.
Os tantos planos.
No dia que ele soube que eu escrevia.
O dia que ele leu o meu primeiro texto sobre ele.
No dia que a sirigaita deu em cima dele e isso gerou mais uma briga que terminou na cama.
O melhor sexo do mundo.
O abraço mais aconchegante.
A barba mais bonita.
O cheiro mais gostoso.
A personalidade mais forte.
O tanto que você me ensinou sobre tudo de relevante e mais bobo.
Você era tão melhor que eu, e fez de mim,tão melhor.
Como não te agradecer?
Como não me orgulhar dos momentos que dividimos?
Não dá pra não ter todas essas coisas pesando e ao mesmo tempo me fazendo voar.
Não dá pra te colocar no pedestal.
Porque se eu resolver te venerar, eu nunca mais olho para o lado.
E eu não posso me dar esse luxo. 
Não sei se você volta e mesmo que não volte.
Fique sabendo: Você me fez tão maior.


Aline Vallim.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Salto 15.

Meu salto alto é bem alto.
Deixei o allstar e a bota cano curto, descansando.
Unhas vermelhas, como de costume.
Batom vermelho, de sempre.
Cabelo ainda curto como há algum tempo, vestido também.
Eu andei sumida.
Voltei a ser a menina do salto  15.
Há tanto não me via..
Eu cheguei como devia.
Com perfume,com a boca seca de vontade, com uma disposição de mil guerreiros.
Vontade de que?
De aparecer, de dançar, de flertar, de ser quem eu de fato,sou.
A gente precisa ficar só, só pra se enxergar melhor.
Eu tô tão bem agora.
Que se eu fosse você ousaria chegar mais perto e sentir a energia.
Eu posso ser sua mas sou mais minha.
Meu ego não é mais cego. E nem burro.
Vem comigo e eu te levo, mas não sei se te espero.
Não tenho tempo pra deixar o seu tempo decidir.
Ou você vem ou me assisti partindo, pra talvez 
não voltar porque a verdade é que nunca sabemos.
E que qualquer hesitação nossa pode ser a diferença entre ter e perder pra sempre.
Não pensa que o tempo é amigo, amiga sou eu que estou tentando te pegar pela mão
e te levar comigo.


Aline Vallim.

E o seu maior medo, qual é?

Não existe o amanhã. Não existe o depois de amanhã, não existe o depois e tampouco os seus planos para o futuro. Não existe futuro. A gent...