sábado, 29 de julho de 2017

Vontade.



Eu deitada ao seu lado
o calor que emana do seu corpo
bate em mim como a saudade
que sempre senti de você
mesmo antes de te conhecer.
Até sem te reconhecer.
Sua anatomia, conspicuidade.
Essa vontade.
Meus dedos resvalam com
carinho pela sua fronte.
Me perdi em você e não sei onde
me reencontrar.
É como se eu tocasse
o portal que me leva
diretamente para outra dimensão.
Que me transporta para a imensidão.
Tão cheio de culpas, errante
como qualquer tripulante
dessa embarcação.
Tão meu. Maravilhoso.
E é como se eu tivesse uma dívida 
com o Universo por ter cedido 
uma parte da sua vida
pra eu poder escrever com você.

Aline Vallim.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Quando.

Quando o seu coração tá tão murcho que parece que não tem mais força para bombear.
Quando você pensa que tá tão sozinho, que parece que foi o único "sortudo" sobrevivente de uma explosão nuclear que ao que parece, assolou a Terra.
Quando ninguém te entende, e não importa que você esteja com vontade de chorar deitada no chão até não ter mais lágrimas,  e ninguém consegue ser sensível na hora que você mais precisa. 
Quando você fala mas não consegue que ninguém entenda. Parece que você fala qualquer língua, menos o idioma do resto das pessoas ao seu redor.
Quando você se sente apenas um ajuntamento de moléculas, que ainda não faz ideia do que veio fazer aqui. 
Quando você não sabe do seu futuro e também tem medo de saber. 
Quando não vê nenhuma possibilidade de melhora ou nenhuma reviravolta que de alguma forma possa te fazer sorrir de novo. Quando esboçar um sorriso genuinamente parece um sacrifício. Há momentos de extrema tristeza, como esse agora, que sento em frente ao computador e choro copiosamente querendo com todas as minhas forças ser salva. Ao mesmo tempo, eu sei mais do que posso explicar que a única coisa que não devemos esperar de ninguém é salvamento. Mas às vezes, é mais forte. 
Nesses momentos quando os "quandos" são muitos, e quando a gente não encontra remédio, é bom chorar. Mesmo com medo de se afogar. Mesmo que seja difícil de parar. 
Soluce, fique sem ar, queira morrer e daí então volte mais forte. 
A gente não tem muita escolha, quando começa a chover. Não é?
Temos que esperar passar.


Aline Vallim.

De onde vem o desejo.

Essa coisa de tentar explicar de onde vem o desejo é perda de energia.
É ter certeza que palavras, eu não vou encontrar.
Ele brota como água em nascente. Ele se acomoda gentilmente no corpo e na mente, como a criança que cuidadosamente se aninha no colo de mãe.
Tenho vontade de te explicar pro meu coração, mas  quando ele te olha só sente aquela sensação boa de inverno com Solzinho quente na medida certa, abraçando a pele. Aquele sentimento de que a vida não pode ser mais maravilhosa, e que se ela for um centímetro mais perfeita é capaz de o céu explodir e virar serpentina. É agonia.
É café quente que queima a língua. É língua molhada que beija gostoso.
O desejo de tão apetitoso é incômodo. Sempre implora por explicações que nunca são dadas. Porque ao mesmo tempo, ele rejeita todo e qualquer raciocínio lógico.
Então, me dê a mão quando eu a estender para você. Me acompanhe até a cama quando eu estiver procurando pelo seu colo ou pelo seu sexo. Ou pelos seus ouvidos quando eu estiver triste demais, e precisar do seu incentivo. E dos seus elogios de admiração e cobertos de boas intenções.
Se dedique ao que não pode explicar, devote-se a divindade do que não é concreto mas nem por isso, é menos palpável.
Me faça derreter como quando me olha em admiração só porque eu te deixo, às vezes por raiva e outras por perplexidade, sem palavras.
Me faça continuar sem poder te explicar, porque o melhor da vida nunca caberá dentro de qualquer verbalização.
Fica, amor.
Seja amor.


Aline Vallim. 

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Solitude.

A solidão morre de medo da solitude!
Confuso, porém poético!
Danadinha essa tal da solidão, se faz de
melhor amiga para você não se desgarrar
dela, quer ser sempre a parceira inseparável
de todas as horas de angústia só para você
não se enxergar no espelho
e aprender que sua compania é tudo o que você
mais precisa lapidar!
Brilhou? Pronto, fodeu ela fica louca.
Já sabe que você encontrou uma amiga melhor
do que ela não tem sido: a solitude!
A solitude demora para chegar, mas traz
com ela um dos maiores presentes que a vida
pode te dar, o encontro com você!
Cheia de doçura, a solitude nada mais é do
que o estágio do: eu me aceito, gosto de mim
assim e consigo ficar comigo durante horas a fio criando os passos mais certeiros que daremos em comunhão!
A solidão só quer te encher a porra do saco
de mais vazio, enquanto a solitude de amor
e gratidão por você amar a ti mesmo, e consequentemente a vida!


Dri Cassimiro, amiga do Eu dou o que escrever, desde os primórdios.

sábado, 22 de julho de 2017

Melhor escolha.

Eu olho pela janela do lugar onde eu trabalho, eu vejo uma imensidão, vejo a baía de Guanabara, vejo uma floresta de concreto, vejo centenas de pessoas passando por hora. Vejo o dia passar tão lindo e vejo tudo escurecer. Quando anoitece, todas as luzes acesas de cada apartamento, casa, escritório, cada centímetro da cidade guarda vidas que eu nunca conhecerei. Todos carregam tanto, todos carregam o que quase ninguém nunca saberá.
Quem esbarra em mim pra em seguida pedir desculpa, ou não pedir. Quem me sorri um bom dia, com calor e vontade. Quem me fecha a cara, quem me é arrogante... Tanto, tanto que passa e nunca é revelado. Essa noção pode ser fascinante ou simplesmente aterrorizante. Quantas pessoas maravilhosas, a gente não vai ter a chance de tocar e se tocado. Os dias passam, as pessoas também, as chances nem se fala. A gente não se permite pelos mais diversos motivos. Ou paga pra ver, vive, e segue. Nunca teremos vivido o bastante. Sempre haverá o mundo para descobrirmos. A maioria de nós está perdido nesse mar de gente, tentando apenas se encontrar. Ou ser encontrado. 
Aquela oportunidade de ouro, aquele olhar certeiro. Muitos de nós congela, paralisa, tem medo. Mas a não ser que você tome coragem e dê o primeiro passo em direção ao que você deseja, não será notado em meio a multidão. O universo precisa de movimento pra girar. Faça o seu mundo caminhar. 
Se mexa! Se dê chances que ninguém mais daria. 
Tantos questionamentos, tantas dúvidas, tanta vida que a gente perde para ganhar a vida.
Vai!  Seja sempre a melhor escolha que alguém possa fazer. 
Não tenha medo.
Deixe marcas nos corações e nas vidas, as quais você tocar. Tenha humildade. 
Não tenha muletas emocionais. Exercite sempre sua independência sentimental mas respeite o que vai dentro do outro. 
A gente segue, sem saber ao certo pra onde. A vida é assim.
A vida não é encontrar o que se procura, é o caminho em si até o encontro. Faça desse caminho o mais próximo do que acredita pra si, e só vá. Dê o seu primeiro passo, seja ele como for ou qual for. 
Não tenha medo do seu medo, e acredite em mim quando eu digo: Você não é o único. Estamos todos com medo. No final, nada importa muito. Não é sobre ser bem sucedido, não é sobre ganhar muito dinheiro, não é sobre a sua posição ou prestígio, não é sobre o superficial. No final o que conta de verdade, é a vida que você viveu e como você encosta na alma do outro e colore tudo a sua volta. 
Vai! 


Aline Vallim.

E o seu maior medo, qual é?

Não existe o amanhã. Não existe o depois de amanhã, não existe o depois e tampouco os seus planos para o futuro. Não existe futuro. A gent...